Tradução dos textos do Volume 1 

ESTUDOS AVANÇADOS DE PALHETADA HÍBRIDA
para guitarra


Vol. 1

Gustavo Assis-Brasil

Por favor, não faça cópias deste livro!
Este trabalho é fruto de muitos anos de muito trabalho e dedicação e é uma produção independente.

Copyright © 2019 por Gustavo Assis-Brasil Music
Copyright internacional garantido, todos os direitos reservados


Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida em qualquer forma ou
por qualquer meio sem a permissão prévia por escrito do autor.

Índice
______________________________

I. Introdução
II. Estudos
III. Biografia do autor

Introdução
______________________________

Uma das coisas que faço para desenvolver meu próprio vocabulário é escrever regularmente as ideias que tenho. Algumas dessas ideias se transformam em melodias, outras em estudos. Esta série de livros é uma coleção de estudos avançados de palhetada híbrida que se originaram da combinação dessas ideias. Eu os considero avançados porque a maioria dos estudos exige um alto nível de independência e controle de ambas as mãos. Também acho que é importante estar familiarizado com acordes, arpejos e escalas de jazz para aproveitar ao máximo a música apresentada aqui. Se você tiver alguma de minhas publicações anteriores - — Hybrid Picking for Guitar, Hybrid Picking Exercises: Single Note Permutations, or Hybrid Picking Lines & Licks - esta série de livros permitirá que você desenvolva ainda mais esta técnica por meio de estudos e a aplique em seu fraseado, composição e improvisação.

Cada estudo vem com sugestões de dedilhado. Sinta-se à vontade para alterá-los ou adaptá-los à sua técnica. Os estudos também misturam ligados (hammer-on / pull-off), palhetada alternada (estritamente para cima e para baixo) e sweep picking (palhetada econômica), mas você também pode escolher usar o estilo fingerstyle ou técnica clássica para tocá-los.

Como alguns dos estudos são cromáticos por natureza, você pode encontrar algumas discrepâncias harmônicas se analisá-los verticalmente; por exemplo, você pode encontrar um Mi natural sobre um acorde Cm7 ou um Mi bemol sobre um acorde E7. A maioria desses casos está relacionada a uma estrutura que está sendo sobreposta ao acorde e, em quase todos os casos, a frase se resolverá harmonicamente em um das notas do acorde. Esta é uma abordagem horizontal de fraseado. Músicos como John Coltrane, McCoy Tyner, Miles Davis e Michael Brecker eram mestres nessa abordagem.

Toque os estudos em andamentos lentos, médios e rápidos. O efeito sonoro dependerá da velocidade com que você executa as peças. A marcação de metrônomo listada para cada estudo é apenas uma sugestão.

Logo após alguns estudos você encontrará uma série de frases que podem ser praticadas separadamente para melhor compreender as técnicas e o conteúdo harmônico / melódico de cada segmento. Você verá o contexto harmônico com um ou mais acordes sugeridos para a frase, seguido do tipo de técnica usada para manipular as notas envolvidas.

A maioria dos estudos desta série de livros usa colcheias ou semicolcheias. No entanto, sinta-se à vontade para variar esses ritmos. Você também pode incorporar diferentes acentos, pausas, durações de notas e deslocamentos rítmicos (começando em diferentes partes do compasso).



Palhetas, unhas e ângulos
______________________________

Uma das coisas mais importantes a se considerar ao escolher a palhetada certa é o tipo de material usado. A melhor maneira de escolher uma palheta para a técnica de palhetada híbrida é comparar o som de suas unhas com o som produzido pela palheta.

Cuidar bem de suas unhas é a melhor maneira de evitar que quebrem. Mantenha a ponta da unha bem lisa com lixa ultrafina.

Você também deve escolher seu ângulo de ataque de acordo com o timbre que deseja produzir a partir do instrumento. Mudar seu ângulo de ataque também mudará seu timbre. Quando você encontrar o timbre de sua preferência, isso estabelecerá seu ângulo de ataque.

Mais detalhes sobre a palhetada desses tópicos podem ser encontrados em meus três livros anteriores.


Digitações da mão direita
______________________________



Digitações da mão esquerda
______________________________

Os números 1, 2, 3 e 4 no topo das notas da pauta representam digitações da mão esquerda (ou digitações da mão direita se você for canhoto).

1 = indicador
2 = médio
3 = anelar
4 = mínimo

Às vezes, você verá apenas algumas notas com esses números no topo. Isso significa que os digitações das outras notas são mais óbvios.


 

‪Gustavo Assis-Brasil   /  BIO

 

 

Gustavo Assis-Brasil atualmente reside em Boston, USA, onde é músico profissional. Ele é bacharel em musica pela UFSM e tem mestrado em Jazz da Berklee College of Music. Gustavo teve aulas e oficinas com Mick Goodrick, Wayne Krantz, Hal Crook, Dave Fiucsynski, Prasanna, Charlie Banacos, Pat Metheny, Frank Gambale, Mike Stern, Dave Liebman, John Scofield, entre outros.

 

Em 1995, Gustavo foi destaque na revista Guitar Player - EUA (sessão Spotlight) juntamente com Guilherme Barros.

 

Em 2003, Gustavo dá aulas na renomada Cambridge School of Weston. Ele também ensinou na Berklee, em Boston, GIT (Guitar Institute of Technology) e na USC (University of Southern California) em Los Angeles, na UFRGS, UFSM e UPF, Brasil.

 

Entre 2005 e 2011, Gustavo lançou três livros, “Hybrid Picking for Guitar” (2005), “Hybrid Picking Exercises: Single Note Permutations” (2008), e “Hybrid Picking Lines & Licks” (2011), com prefácio escrito por Guthrie Govan. Os livros são renomados em mais de 30 países, e reconhecidos como os melhores do gênero.

 

Em 2008, Gustavo lançou o DVD ao vivo "In Concert”. No mesmo ano foi convidado pelo selo alemão ESC para participar do CD em tributo ao grupo Steely Dan e em 2009 a participar do projeto “Mahavishnu Re-defined” - tributo a John Mclaughlin.

 

Em 2010, Gustavo lançou a trilha sonora do filme gaúcho "Manhã Transfigurada”.

 

Em 2016 Gustavo lançou o CD “Chromatic Dialogues”.

 

Além de Guilherme Barros, Gustavo tocou e/ou gravou com Vardan Ovsepian, Tony Grey, José Pienasola, Mauricio Zottarelli, Mozik, John Stowell, Bob Mintzer, Hiromi, Esperanza Spaulding, Julio “Chumbinho” Herrlein, Tim Ries (Rolling Stones), Nelson Faria, Marina Elali, entre muitos outros.

 

 

 

 

1. Estudo preliminar 1: Este é um agradavel estudo de aquecimento para você começar com uma forma mais tradicional de tocar com a palheta e 2 dedos (médio e anelar). Aqui estão as 6 permutações possíveis para tocar usando a palhetada híbrida:

 

(...) (ver exemplos no livro)

 

Aprenda devagar no início e tente tocar cada corda com o mesmo volume. Inicie os padrões com colcheias, depois tercinas de colcheias e, finalmente, semicolcheias. Ao usar semicolcheias, estou mudando a segunda permutação de palhetada para baixo, dedo médio e dedo anelar para palhetada para baixo, dedo médio e palhetada para baixo novamente. Use um metrônomo para praticar. As opções de notas do braço da guitarra usam digitações simétricos em grupos de três. Experimente dinâmicas e acentos diferentes.

 

2. Estudo preliminar 2: Este breve estudo usa dois padrões de palhetada: um ascendente e um descendente. O conteúdo melódico é baseado em todas as três shapes diagonais da tríade maior com uma nota por corda. Depois de aprender a tocar o estudo usando as tríades maiores sugeridas, tente também usar diferentes tipos de tríades, como menor (1, b3, 5), aumentada (1, 3, # 5), diminuta (1, b3, b5), sus2 (1, 2,5), sus4 (1, 4, 5), sus2b5 (1, 2, b5), Majb5 (1, 3 b5). As seguintes tríades quartais também são interessantes: (1, 4, 7), (1, # 4, 7) e (1, 4, b7).

3. Estudo preliminar 3 ("Pick Mac"): Este estudo inclui o dedo mínimo da mão direita. Este breve estudo usa dois shapes (padrões) de palhetada: ascendente e descendente. O conteúdo melódico é baseado em duas formas diagonais simétricas de mão com uma nota por corda e uma nota por casa. Aprenda devagar no início e tente tocar cada corda com o mesmo volume. Observe que você inicia os padrões com colcheias, depois tercinas de colcheias e, finalmente, semicolcheias. Use um metrônomo. Experimente dinâmicas e acentos diferentes.

4. Estudo preliminar 4 (8 permutações): Este estudo usa oito permutações de digitação na mão direita e esquerda. Os elementos de permutação são a palhetada para baixo e os três dedos restantes da mão direita (m a c). Executá-lo com precisão exige um grande controle sobre cada dedo. Mudar de colcheias para tercinas de colcheias e semicolcheias pode ser desafiador. Aprenda lentamente no início, certificando-se de tocar cada corda com precisão e controle. Experimente dinâmicas e acentos diferentes. Aqui está o padrão de palhetada usado para este estudo:

(...)

 

5. Estudo preliminar 5 (Maj7): Este estudo consiste exclusivamente em acordes maiores da sétima. Cada acorde é tocado como um arpejo ascendente. Como cada acorde tem quatro notas, podemos usar o padrão palhetada para baixo, dedo médio, anelar e mínimo, exceto nos compassos 9 e 10. Como estamos usando quatro cordas por vez, temos quinze combinações de cordas possíveis (supondo que você esteja tocando uma guitarra de seis cordas). Além do aspecto técnico deste estudo, uso alguns acordes e inversões incomuns. Deixe as notas soarem sem abafar.

(…)

Dica: para explorar mais as possibilidades harmônicas, tente usar diferentes tipos de acordes de sétima. Aqui vão algumas sugestões: sétima dominante (1, 3, 5, b7), sétima menor (1, b3, 5, b7), meio-diminuto (1, b3, b5, b7), diminuto (1, b3, b5, bb7), dominante com quinta bemol (1, 3, b5, 7), sétima maior e quinta aumentada (1, 3, # 5, 7) dominante com quinta diminuta (1, 3, b5, b7), dominante com quinta aumentada (1 , 3, # 5, b7), menor com sétima maior menor (1, b3, 5, 7) e dominante com quarta suspensa (1, 4, 5, b7).

6. Estudo preliminar 6 (24 permutações): Este estudo é baseado em permutações das 4 possibilidades de palhetada hibrida. Aqui estão os vinte e quatro grupos possíveis, sem elementos repetidos:

(...)

Cada permutação usa uma posição diferente. Eles se movem para cima e para baixo no braço da guitarra usando doze posições, começando na primeira posição e subindo até a décima terceira antes de descer de volta.

 

6.1 Estudo preliminar 6 (Zigzag): Depois de decidir usar um grupo de permutação por compasso, escrevi versões em ziguezague de cada grupo para preencher cada compasso com dezesseis semicolcheias, usando o seguinte padrão: permutação original - retrógrada - permutação original - retrógrada - permutação original.

(…)              

Tente separar as notas melodicamente, não deixando que duas ou mais notas soem simultaneamente. É mais difícil do que parece, mas depois de entender a mecânica, é uma peça divertida de tocar. Este estudo pode ser tocado em qualquer andamento com o qual você se sinta confortável. Sinta-se à vontade para experimentar diferentes acordes e combinações de cordas, mantendo os padrões de palhetada híbrida.

 

6.2 Estudo preliminar 6 (dedilhado opcional): Este estudo usa exatamente as mesmas notas do anterior. As únicas diferenças são os digitações híbridos. Nem todos os padrões usam o dedo mínimo. O dedilhado sugerido nesta versão é a maneira como toco o estudo se quiser executá-lo em um andamento mais rápido.

7. Estudo preliminar 7: Este estudo foi escrito para desenvolver velocidade e precisão com padrões diagonais ascendentes e descendentes para esquerda e para direita. É um estudo divertido de aquecimento.

8. The Easy Passenger: Este estudo combina duas idéias de permutação diferentes para a mão direita. Primeiro, usei cada um dos grupos possíveis de três cordas, tocando um grupo por compasso:

(…)

Posteriormente, em cada compasso, apliquei todas as seis maneiras possíveis de tocar as notas separadamente como um arpejo, conforme apresentado no "Estudo preliminar 1". A única diferença é que agora também estou incluindo o dedo mínimo; Não estou usando apenas palhetada para baixo, dedo médio e dedo anelar, mas também palhetada para baixo, dedo mínimo, dependendo do grupo de permutação de cordas. A única restrição quanto às palhetadas de notas para a mão esquerda era ter certeza de que eu tinha uma corda solta por compasso. Deixe as notas soarem.

 

9. Pentarum: Este é um estudo divertido para praticar algumas maneiras incomuns de tocar shapes de escala pentatônica. Ele usa uma pentatônica menor (A, C, D, E, G) em diferentes posições. Tente seguir os digitações sugeridas e comece a praticar o estudo lentamente. Tente tocar alguns desses shapes sobre os acordes Am7, C, Dm7, F∆7, Bb∆7, F # 7alt, C / D ou Em7b5. Divirta-se pulando cordas!

10. Diatonic Ride (Passeio Diatônico): Este estudo originou-se de uma tríade aberta de quatro notas (ou tríade espalhada) padrão de arpejo que dobra a tônica de cada acorde, seguido por quatro notas descendentes na tonalidade de C. O primeiro compasso do estudo tem todo o material harmônico e melódico que será usado ao longo do estudo. Todas as sequências são diatônicas à tonalidade de C. Aproveite o passeio!

 

11. Pé de Umbú: Este estudo de baião também funciona bem com as mudanças de acordes sugeridas no estudo. O ritmo do acompanhamento (acordes, baixo ou ambos) que funciona bem nas seções A, B, C, D e D 'é:

(...)

Durante a ponte e o final do estudo, não há acompanhamento.

 

12. Que Nem: Este estudo tem o mesmo estilo estético que o anterior, "Pé de Umbú". É também uma peça de baião para guitarra que soa bem sobre os acordes sugeridos.

13. Maracatude: Quando eu estava escrevendo os primeiros 13 compassos deste estudo, eu tinha duas coisas em mente: um tradicional maracatu brasileiro e Thelonious Monk. A peça começa movendo acordes de sétima dominantes. Esses acordes têm um salto de corda no meio. O resto da peça trabalhará suas habilidades de arpejo. O principal objetivo desta peça é desenvolver fluência com arpejos acordes de palhetada híbrida.

14. Milonga 34432: Este estudo começa com um padrão sincopado que é uma variação da milonga. As milongas geralmente são tocadas com agrupamentos de 3 + 3 + 2 notas (um-dois-três-um-dois-três-um-dois). Este estudo começa com o padrão 3 + 4 + 4 + 3 + 2, razão pela qual esses números estão no título. Toda a seção "A" é baseada neste padrão com algumas variações no final das frases. A seção "B" usa uma linha repetida deslocada por uma colcheia. A frase intervalar na seção "C" usa o mesmo efeito de deslocamento da seção anterior para quatro barras. Os próximos quatro compassos são uma repetição exata meio passo acima. A última seção do estudo usa grupos de cinco notas criando um efeito polirítmico por cinco compassos.

15. Trampolim: Este estudo usa salto de cordas, acordes de sétima, cordas soltas e padrões simétricos.

© Music by GUSTAVO ASSIS-BRASIL